Mostrando postagens com marcador O assunto é.... Mostrar todas as postagens

Como desenhar um vestido de Alta Costura

Um vestido de alta-costura é uma roupa fashion para reuniões formais como casamentos, bailes e festas. Ele tem diferentes estilos, cores e modelos. É muito fácil de desenhar um vestido, brincar com as cores e formatos sem regras para fazer.

Passos


  1. Rascunhe uma saia com um top que irão servir para o corpo de uma mulher. Ele pode ser curto ou longo.

  2. Desenhe uma linha vertical da parte de cima até a parte de baixo da saia que irá servir como babados.Acrescente laços na parte de cima.

  3. Faça o contorno do seu rascunho, e deixe a saia com um formato rodado de balão.

  4. Agora coloque cores no vestido e combine as cores dos laços e outras partes do vestido. Note que a cor do laço deve ser visível.

  5. Acrescente seus formatos e estampas preferidos com diferentes tamanhos e cores. É aconselhável usar cores vivas como azul, amarelo ou branco, para ter um efeito brilhante.

Dicas

  • Use brilhos para deixar mais destacado.
  • Você pode também colocar pequenos laços na saia, e pode experimentar linhas horizontais para o babado horizontal.
  • Créditos:Aqui

Aula para iniciantes de costura 4: Ainda sobre saias...






Oláá, meninas! Alguns Tipos de saias.






















Essa saia foi muito utilizada na década de 50, com modelos mais compridos e mais rodados. Com cintura marcada e muito tecido, ela é enviesada ou cortada em círculo. Atualmente, a saia ganhou a cintura marcada geralmente por elástico e sua altura diminuiu, passando a ser utilizada normalmente um palmo acima do joelho. Pode ser muito ou pouco volumosa, e o volume influencia muito na hora de escolher a ideal para o seu corpo. Mulheres com pouco quadril devem usar, preferencialmente, as mais cheias, e, para as triangulares, a ideal é a menos volumosa, para não criar aquele efeito “bolo de festa”.







A saia lápis é descendente da saia reta. Mais curta e justa, ela se adequa ao corpo e cola nas curvas com o seu corte de cintura alta que afunila perto dos joelhos. Não é aquele modelo apertado que impossibilita a caminhada, o que a torna bastante confortável. Muito usada como peça coringa, ela levanta qualquer look e, com jeito, pode ser usada tanto em uma combinação mais sóbria e social quanto mais alegre e despojada. A saia lápis evidencia (e muito) a curva das coxas, por ser bastante justa no quadril. Um dos modelos mais utilizados pelas mulheres, é recomendada principalmente para quem não tem muito bumbum ou quadril, mas, dependendo, as com quadril mediano podem utilizar sem medo. Mulheres com quadris mais largos correm o risco de ficar com a saia subindo o tempo inteiro e marcando na região, pelo fato de o modelo ser bastante justo.




Básica, o modelo da saia reta acompanha o quadril e desce até os joelhos (ou pouco abaixo deles) sem ajustar, tendo pouca diferença entre o tamanho da cintura e do quadril. É o típico modelo “clássico” das mulheres dos anos 40, que a puseram no armário pela falta de tecido da época e economia que traziam em sua produção. De cintura alta, a saia reta é confortável por não se prender tanto ao corpo e facilitar os movimentos na hora da caminhada. Cai bem em quase todos os tipos de corpo (nos quadrados não fica tão bonito por não marcar muito a cintura) e, além de clássico, combina tanto com o modelo mais social (de trabalho, como acompanhando os terninhos) quanto com um mais despojado. A aparência vai muito da sua criatividade na hora da composição do look.





Sabe aquela saia que se sobrepõe, totalmente aberta, reta, e que fecha com o tecido dando uma “volta” ao corpo e prendendo com um botão (ou derivados) em cima? Então, essa é a saia envelope. Pode ser usada em todos os tipos de corpo, desde que se regule o fechamento para não marcar demais nem de menos. É encontrada em modelos com cintura alta, baixa, acima do joelho e até aquelas bem compridas, quase tapando os pés.




A saia plissada, diferentemente da drapeada, tem as dobraduras feitas no próprio tecido, e não costuradas, como acontece na outra. Está em alta em couro e courino, mas pode ser encontrada em vários outros tipos de tecido, principalmente os mais levinhos e sintéticos (parecidos com tule) e transparentes com forro. Pode ser usada por mulheres com todo tipo de corpo, exatamente por não colar e não marcar a silhueta. De cintura alta, a saia plissada é encontrada em diversos comprimentos, desde acima dos joelhos até a mais comprida, quase tapando os pés.



Reconhecidas facilmente por remeterem ao modelo colegial e escocês, as pregas dessa saia são pregadas na hora da costura mesmo, diferente da plissada, que as têm feitas diretamente no tecido. Pode ser usada por mulheres com qualquer tipo de corpo, e costumam ter altura acima dos joelhos.






A saia balonê surgiu nos anos 80 e sumiu de vista depois do êxtase de uso em 2007. Pode ser usada acima ou abaixo do joelho, tem costura em camada dupla, bastante volume, cintura alta ou baixa, normalmente marcada, e o soltinho costurado no final, que cria a aparência arredondada. Serve geralmente para todos os tipos de corpo, principalmente porque mulheres com quadris mais largos tendem a ficar com eles “abrigados” dentro do tecido, o que faz com que quase não apareçam.





A diferença entre a saia pareô e a envelope é mínima e quase imperceptível para quem não a conhece. Na verdade, o detalhe que difere uma da outra é que a pareô fecha na cintura com laços grandes e é volumosa, enquanto a envelope somente se fecha em cima, reta. A saia também costuma ser mais aberta embaixo, formando um tipo de “V” ao contrário. Em questão de vestimenta, a pareô realça bastante o quadril - então, caso o seu seja largo, prefira as com maior abertura e menos volume.






A saia em “A” ou evasê recebe esse nome exatamente por lembrar o formato da letra A - é justa na cintura e desce abrindo, sendo mais ampla na parte de baixo e terminando abaixo dos joelhos ou pouco acima deles. Podendo ser utilizada por mulheres com todo tipo de corpo, essa saia cai como uma luva para quem tem quadris largos (ou silhueta triangular), porque os disfarça muito bem. Ela pode ter um corte mais reto ou mais solto, fluido, e é feita de tecidos mais molinhos, diferentemente da saia lápis e reta.




A saia de babados tem um ar romântico e possui os babados dispostos de formas variadas: podem ser em rufos, camadas, regulares, com textura bem levinha (suave) ou irregulares. É mais indicada para mulheres com pouco quadril por causa do volume que acrescentam à silhueta - portanto, se você tiver quadril largo, evite ou use a menos volumosa possível. Costuma ter elástico na cintura e altura acima do joelho.



Fluida e romântica, a saia enviesada cria uma silhueta violão por ser mais apertada quase no final, soltar na ponta e ser mais solta (porém marcada) na região do quadril. É cortada na diagonal e não na direção da trama dos fios. Cai bem em mulheres de quadris menores e medianos, mas, dependendo do ajustamento, também funciona para os maiores. Mais indicado: silhueta tubular.





Nessa saia temos pregas na parte do cós, e que somem ao longo da peça, na região da coxa. Tem volume em cima, ajustando ao corpo no final, o que aumenta bem os quadris. Ideal para mulheres altas, magras e que querem exaltar a medida dessa região. Se você tem quadril largo e bumbum grande, evite esse modelo, pois ele aumenta ainda mais o tamanho.



Com grande influência greco-romana, as saias drapeadas têm efeito enrugado, costuradas exatamente com esse intuito. É justa, cola no corpo e tem certo volume. Cuidado: quem tem quadril maior (ou não está tão bem assim com a balança) deve ficar atenta ao volume, pois, automaticamente, esse modelo de saia adiciona certo volumosidade à silhueta. É mais indicado para as magrinhas, pois define e evidencia sem vulgaridade.

Cardigã Decorado

Amigas , passeando pela Manequim Abril vi isso: fácil de fazer e fica lindo!

Aprenda a incrementar seu cardigã com aplicaçõesAprenda a incrementar seu cardigã com aplicações

Como fazer

•Antes de pregar os chatons, use um lápis-giz ou uma caneta fantasma para marcar na blusa onde ficarão os adornos.

•Para um acabamento impecável, costure os chatons um a um e opte por uma linha do tom da roupa para pregá-los. Looks poderosos pedem bordados em maior quantidade.

•Substitua as peças por pérolas caso queira um visual bem feminino e atemporal.
Fonte: Revista Manequim

Não gosta de cerzir? Existe cerzidos prontos para aplicar



“100COSTURA”®
 A COSTURA INVISÍVEL SEM FIO
 PARA FERRO OU CHAPINHA
Para tecidos de algodão, lã, sintéticos, mistos e seda.
 COSTURA- CERZE- REFORÇA-CONSERTA
INVISÍVEL-CRIA- DECORA. LAVÁVEL
PROLONGA A VIDA DAS SUAS ROUPAS.
Não tóxico, não perde a cor, não contem cola.
INSTRUÇÕES DE APLICAÇÃO
  • Os tecidos devem estar bem secos e limpos. Ferro a seco antes e durante a aplicação. Mesmo método que para Transfers.
    • Barras: (RENDE APROX. 13 CALÇAS)
 Corte o filme numa largura de aproximadamente 1,5cm, coloque-o entre o tecido da barra, previamente marcada, e passe o ferro na temperatura de algodão, por 25 segundos, em movimentos circulares com firmeza; para tecidos grossos, mais 15 segundos do outro lado.  Não mexer enquanto não esfriar; faça sempre pelo lado interno da calça.  
 consertos e cerzidos INVISÍVEIS de rasgos e furos:
 Use o “100COSTURA” para consertar, cerzir, decorar ou reforçar qualquer tecido, roupas, cortinas e tapeçaria. 
Contém: preto, branco, azul escuro (jeans novos) e azul claro (jeans usados). Medida: 12cm x 20cm
Validade: indefinida

Conserto  e cerzido de rasgos ou furos:
 Fazer um parche ou cerzido é fácil! : Não lavar antes de consertar.
1) Use a cor de filme que fica mais invisível no conserto,
2) Corte 1 cm a mais, da medida do rasgo ou furo a consertar,
3) coloque o filme sobre papel de alumínio,
4) corte um pedaço de tecido, da cor que desejar, na medida do filme já cortado e coloque-o sobre o filme,
5) passe o ferro como no processo anterior, espere esfriar, retire do alumínio e arredonde as pontas.
6) Acerte bem as partes desfiadas do rasgo ou furo sobre a mesa de passar, passe o ferro para ficar bem certo,
7) coloque o parche, sempre do lado de dentro da roupa e repita o mesmo processo usado para barras e costuras.
Este método também serve para reforçar tecidos desgastados ou fazer seu próprio jeans furado sem furo!.
Conserte aquele rasgo ou furo no estofado da mesma forma, cortando um pedaço do tecido do próprio estofado só que, aplicando na parte visível.
8) Para orifícios, onde o parche fica do lado externo da roupa, coloque papel toalha entre a parte a consertar e a tábua de passar, espere esfriar e retire o papel.
 Decore a sua roupa!: O “100COSTURA” serve também para aplicações decorativas. é só repetir o processo de parche para rasgos com o tecido decorativo da sua escolha.
  • IMPORTANTE: mesmo parecendo secos, os tecidos  conservam umidade, antes da aplicação, passe o ferro (a seco) até não sair mais vapor.
    • No processo de vulcanização do 100COSTURA, se o tecido for de pouca espessura ou densidade, pode acontecer dele vir a ter uma pequena deformação (ondular), é só lavar na máquina que volta ao normal.
    • Se, no processo, sujar o ferro: deixe esfriar e retire com uma espátula de plástico ou com um pano limpo enquanto está ainda quente.
    • Não corte o filme perto do ferro.
    • Verifique, antes de passar a roupa, se nenhum pedaço do filme ficou colado no ferro, pois se ele grudar na roupa, não tem forma de retirar.
    • Ferros de passar, de diferentes marcas, possuem graduações de temperatura diferentes.
    • Se devido à lavagem ou por qualquer outro motivo descolar, é só colocar o ferro quente novamente.
    • Contagem de segundos: conte, cento e um, cento e dois, cento e três até cento e vinte e cinco.
 Em tecidos delicados, coloque um papel entre o ferro e o tecido.
Caso tenha errado, não tem problema, passe o ferro por 20 segundos, puxe e reposicione.

Antes e depois: uma barra na saia de inverno




Primeiro vamos falar da saia:

1) tecido perfeito: uma lãnzinha de inverno que lembra um tweed, forrada e quentinha.
2) cintura altísima, socorro! Pela etiqueta, vi que era uma peça americana, antiga e sem uso.
3) modelagem esquisitinha demais, ela tem uma curva no local do culote (?). Será que isso é
explicado pelo fato da saia ser americana (e antiga) e elas terem corpos um pouco diferentes
do nosso? Na saia reta brasileira, a curva fica BEM na altura do quadril. Nessa americana,
a curva é mais no alto.  Fiz um desenho técnico para explicar:


Ok, sem problemas, a blusa cobre isso tudo.

Para resolver a saia era simples: medir o comprimento e faze a barra. As meninas aqui no
curso de costura iniciante aprendem 4 tipos de barra na quinta aula, usei a básica e costurei
os pontos na mão, invisíveis (que também ensinamos). Me perdoem as fotos ruins, mas este é
o antes e o depois:


Agora fotos com a saia e o resto da roupa (ninguém merece gente pelada aqui!). Eu achei que
o resultado ficou bom. A saia custou pouco (cerca de R$ 30), a barra fiz numa tarde e enfim,
tive a tão desejada "saia de inverno".


Vale o trabalho? Vale! Vale aprender a fazer uma barra, um conserto, ser auto-suficiente nas
pequenas coisas? Vale.


até mais

Camiseta vira vestido


Ambiente organizado indica maior eficiência

Segundo especialistas, a chamada “bagunça organizada” não passa de desculpa para adiar tarefas –
e produtividade pode cair até 20%



A falta de organização, seja no trabalho, em casa ou na vida pessoal, significa perda de tempo. Em um ambiente profissional, a produtividade pode cair significativamente se a pessoa tiver que parar para procurar um telefone ou documentos no meio da pilha de papéis, pastas e objetos acumulados na mesa. Segundo o consultor empresarial londrinense Wellington Moreira, da Caput Treinamento e Consultoria, a perda de tempo pode chegar a 20%. “Imagine isto em horas, dias, meses e até anos, o quanto vai representar em perdas para a empresa”, apontou.
Para Moreira, a chamada “bagunça organizada” é apenas uma desculpa para adiar a tarefa de se livrar dos excessos. “A desorganização é a externização de algumas outras deficiências do profissional. Quem mantém a mesa desorganizada, vive a vida inteira desta forma. Pode até ser relapso profissionalmente”, afirmou.

O material básico para quem quer costurar



Para as meninas que pediram, segue uma listinha de materiais básicos para quem quer se aventurar pelo maravilhoso e viciante mundo do corte e costura.
* Papel pardo ou manilha
Régua, esquadro e réguas curvas - normalmente são vendidos em jogo, em armarinhos e lojas de artigos para desenhos.
* Carretilha
* Fita métrica
Giz de alfaiate - bom também comprar um lápis de giz.
* Lápis macio - eu uso um 6b, desses de desenho.
* Caderno para anotar modelos e medidas.
* Tesoura - pelo menos duas, uma só para papel e outra exclusivamente para tecido.
* Alfinetes.
* Um jogo de agulhas de mão.
* Linhas e fios, nas cores e tipos que os tecidos usados exigem.
Um imã para catar alfinetes e agulhas pelo chão - acreditem, vocês vão precisar....
E é obvio, pelo menos uma  maquina de costura reta ou caseira. (singer, Elgin, etc)
E futuramente, é bom para quem não tem uma overlock para acabamento. Se não for costurar para fora, essas duas já está bom. Se for só para a sua família e não tem pressa e nem excesso de demanda, eu recomendo uma Singer. E faça o acabamento a mão.Fica bem bonito.(Barras, apliques, bordados, etc)

Para quem costura com gabarito réguas para gabaritos e uma pasta Vogue ( Eu costuro dos dois jeitos: Faço moldes sob medida e também uso gabaritos prontos.
Pra quem não sabe a diferença, o  gabarito é uma medida padrão (mas dá para fazer ajustes) e o molde que você faz, são os exclusivos, com a medida da pessoa, ou seja, sob medida.O caimento é impecável!
Boas compras!

Dicas para escolher modelagem das roupas corretamente

Silhueta oval ou maçã - geralmente todas as linhas são curvas, em alguns casos a cintura pode até ser maior do que o quadril. Nesse caso é preciso escolher modelagem das roupas que chamem atenção para as partes finas do seu corpo. Usar peças que permitem criar uma falsa cintura é uma boa idéia. A modelagem das roupas que ajudam a disfarçar a barriga as túnicas, blazers e camisas abertas com detalhes verticais são algumas opções. Aproveite que o colo é uma das regiões mais bonitas do seu corpo procurando peças com  com decotes em “v” e “u”adicionando uma boa de cores. Escolha modelagem das roupas na altura do joelho valorizando as perna.
Para as ocasiões mais sofisticadas a moda sugere transparências e muito brilho. Os sapatos peep-toe são ótimos para deixarem o colo dos pés a mostra a alongar as pernas. A modelagem das roupas corretas junto aos acessórios adequados fazem maravilhas na produção.

Triangulo invertido- a cintura é reta, a barriga um pouco saliente, costas largas e quadril estreito. Fique atenta àmodelagem das roupas que vão te ajudar a dar mais volume ao quadril fazendo com que os ombros pareçam menores, peças estampadas na parte de baixo, por exemplo, é uma boa ideia. Tecidos leves e cores neutras ajudam a dar leveza ao tronco. Dê um destaque especial às pernas usando saias, bermudas e vestidos.
dicas para modelagem de roupas
Retângulo- essa silhueta é marcada pelos ombros, cintura e quadris que geralmente tem as mesmas formas e as pernas mais finas. Nesse caso a modelagem das roupas deve ajudar a criar uma ilusão de formas ou desviar os olhares dos pontos como a cintura por exemplo. Saias evasê ou calças mais volumosas no quadril são ótimas opções, pois fazem a cintura parecer mais fina. As blusas soltas são peças excelentes que vão ajudar a esconder essa falta de curvas. Valorize a região do colo com decotes, colares e detalhes namodelagem das roupas que escolher.

Modelista: O profissional da modelagem de roupas


Devido ao fato do sucesso da coleção sempre ter sido direcionado ao estilista muitas vezes o profissional damodelagem de roupas nem é lembrado e valorizado como deveria, mas o que seria do estilista sem esse profissional para dar vida às suas idéias.  Ele não precisa ser um expert em costura, mas precisa ter um bom conhecimento em aviamentos, composição e caimento dos tecidos. Como a responsabilidade pela modelagem de roupas é do modelista cabe a ele fazer todas as mudanças que julgar necessárias, pois nem sempre a idéia do estilista pode ser colocada em prática. Além de interpretar os desenhos elaborar ficha técnica é responsabilidade do modelista também acompanhar a confecção da peça piloto fazendo as correções no corpo de prova para que o modelo possa seguramente ser produzido em série.

 Testando a modelagem de roupas

Para testar a modelagem de roupas muitos desses testes são realizados em pessoas que possuam medidas de acordo com a tabela usada pela fábrica, os chamados “modelos de prova”. É a melhor forma que se tem para ter certeza que a modelagem de roupas ficou perfeita. Mas muitas fábricas ainda acham que o ideal mesmo é que esses testes sejam feitos em um manequim para que fique mais fácil alfinetar. O bom é que esses manequins de prova podem ser confeccionados de acordo com a tabela de medida usada para cada empresa, assim fica mais fácil e seguro na hora de fazer as correções na modelagem de roupas.modelagem de roupas